Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Provedor da Santa Casa de Irati expõe situação financeira da entidade e explana sobre a campanha “Chega de Silêncio”

Provedor da Santa Casa de Irati expõe situação financeira da entidade e explana sobre a campanha “Chega de Silêncio”

por RAFAELLA publicado 28/04/2022 11h25, última modificação 28/04/2022 13h05

   Na Sessão Ordinária do dia 26 de abril, a Tribuna Popular foi utilizada pelo Provedor da Santa Casa de Irati, Ladislao Obrzut Neto e pelo Diretor Administrativo da entidade, Sidnei Barankievicz, que explanaram sobre a crise financeira do Hospital e a campanha “Chega de Silêncio” da CMB (Confederação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas) e Femipa (Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais).

    De acordo com o Provedor do Hospital, Ladislao Obrzut Neto, a CMB lançou a campanha 'Chega de Silêncio' para expor a crise no setor filantrópico no Brasil. Conforme a Confederação das Santas Casas, “desde o início do plano real a tabela SUS e seus incentivos foi reajustada em média em 93,77%, enquanto o INPC foi 636,07%, o salário-mínimo foi 1.597,79% e o gás de cozinha 2.415,94%”. No Brasil isto representa 10,9 bilhões de reais por ano de desequilíbrio econômico e financeiro na prestação de serviço ao SUS, aponta a entidade.

   O Diretor Administrativo do Hospital de Irati, Sidnei Barankievicz, fez uma apresentação das contas da entidade, apresentando as receitas e despesas operacionais, ou seja, todo o valor que o hospital recebe e paga mensalmente. “O total da receita do Hospital é de R$ 2.132.330,00. Também recebemos de doações em torno de R$ 32 mil. Já as despesas de folha de pagamento somam mais de um milhão. E ainda tem as despesas de telefone, água e luz que somam mais de R$ 55 mil, mais as manutenções, reparos e material que chegam a R$ 40 mil. Temos ainda as despesas com honorários médicos, lixo hospitalar, medicamentos, oxigênio, alimentos, gás entre outros gastos. O total de despesas operacionais chega a R$ 2.626.559,00. Então estamos com um déficit de R$ 462.532,00 mensal”, lamentou.       

  Conforme o Provedor do Hospital, a Santa Casa tem uma dívida de 10 milhões com a Caixa Econômica Federal, mais uma dívida com a Copel, sem falar as demais contas a pagar. “Mas se a Santa Casa fosse retirada integralmente daqui de Irati hoje e fosse colocada na região metropolitana de Curitiba, não perderia em nada para nenhum outro hospital acerca de equipe, equipamentos e centro cirúrgico, porém, trabalhamos 96% SUS. Portanto, a entidade representa os 1.824 hospitais filantrópicos brasileiros, que estão propondo o ato para expor a crise enfrentada pelos estabelecimentos que atendem a população através do Sistema Único de Saúde”, enfatizou Ladislao afirmando que hoje os Hospitais vêm assistindo um descompasso entre a questão financeira e a importância das Santas Casas para a população. “Estamos preocupados ainda com o reajuste salarial que o Sindicato vem discutindo, neste caso, o nosso prejuízo pularia de R$ 462 mil para R$ 650.000,00”, alertou.  

   “Estamos trabalhando da forma mais enxuta possível, semana passada estivemos em contato com o Presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano, o qual nos abriu as portas para discutir uma verba que seria para reforma e construção em torno de R$ 2 milhões. Conseguimos reverter esse valor em custeio, vamos realizar mais tomografias e aumentar as diárias de psiquiatria. A Santa Casa neste momento discute a questão do salário por meio do sindicato, sendo que se for concedido qualquer tipo de reajuste, não teremos condições de pagar. No dia 4 de maio será votada no congresso a PEC do piso salarial com jornada de trabalho de 30 horas, a qual também não vamos conseguir manter. Portanto, pedimos o apoio dos vereadores para que nos ajudem por meio dos deputados. Hoje o único município que auxilia a Santa Casa é Irati, porém, atendemos os nove municípios da região”, clamou Ladislao.

   Os vereadores fizeram elogios ao trabalho da direção e dos profissionais do Hospital. O Presidente Helio de Mello chamou atenção da Amcespar e dos demais município da região para que não haja o fechamento da Santa Casa de Irati. Os vereadores se comprometeram a auxiliar e buscar ajuda nas esferas estadual e federal por meio dos seus representantes. Helio agradeceu a presença dos Diretores do Hospital, reiterando que a Casa de Leis está à disposição para trabalhar junto em prol da saúde e de uma melhor qualidade de vida para população do município e região.  

(Assessoria Câmara Municipal de Irati)

NAVEGUE AQUI

     HOLERITE ELETRÔNICO