Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Vereadores desabafam sobre a exoneração do Secretário Municipal de Saúde, Agostinho Basso

Vereadores desabafam sobre a exoneração do Secretário Municipal de Saúde, Agostinho Basso

por Rafaella Maier publicado 13/09/2017 14h35, última modificação 13/09/2017 14h33
Vereadores desabafam sobre a exoneração do Secretário Municipal de Saúde, Agostinho Basso

Funcionários da Secretaria Municipal de Saúde acompanharam a Sessão

    Acompanhada por funcionários da Secretaria Municipal de Saúde, a Sessão Ordinária do dia 12 de setembro contou com a leitura no expediente de dois novos projetos de lei, duas Moções de Aplausos e três indicações do Legislativo. Na Ordem do Dia, sete projetos e dois pedidos de vistas foram aprovados. Na palavra-livre, entre outros assuntos, os vereadores desabafaram sobre a saída do secretário municipal de saúde, Agostinho Basso.

   O Presidente Helio de Mello apresentou indicações, aprovadas por unanimidade votos, para que seja realizada a demarcação viária, através da pintura de faixas de sinalização, no trecho recuperado da estrada que liga Irati à Gonçalves Junior; execução de perfuração de um novo poço artesiano, para atender a comunidade do Rio Corrente e estudos para aquisição e destinação às escolas públicas municipais de kits contendo as bandeiras do Brasil, do Paraná e do Município, com o objetivo de resgatar os valores do da nacionalidade, do respeito e da cidadania.

ORDEM DO DIA

   Na Ordem do Dia, em segunda votação foram aprovados os projetos de lei nº 107/2017, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial na importância de até R$ 3.315,00 visando encerrar contas bancárias de convênios antigos reduzindo desta forma o número de contas correntes não movimentadas pelo município e evitando a incidência de tarifas bancárias; nº 108/2017, autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial na importância de até R$ 24.000,00 para aquisição de oficinas extracurriculares de horticultura, informática e esporte, do projeto de contra turno escolar da Escola Rural Municipal Olavo Anselmo Santini, com recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, oriundos de doação do Imposto de Renda de Empresas e o PL nº 025/2017, de autoria do vereador José Bodnar, que dispõe sobre a regulamentação de construção e ou substituição de passeios no Município de Irati e dá outras providências.

   Já em primeira votação foram aprovados por unanimidade os projetos nº 109/2017, que altera o art. 1º da Lei nº 4347/2017, que por um lapso, foi elaborada incluindo a nomenclatura crédito adicional suplementar, sendo a descrição correta: crédito adicional especial; nº 110/2017, autoriza a abertura de crédito adicional especial na importância de até R$ 243.500,00 para recuperação das quadras esportivas da Vila Nova, Praça Edgard Andrade Gomes e Conjunto Santo Antônio, referente ao convênio celebrado entre o Município e o Ministério do Esporte e o PL nº 111/2017, que autoriza a abertura de crédito adicional especial na importância de até R$ 50.000,00 para aquisição de um veículo para uso da Secretaria Municipal da Agricultura.

   O PL nº 104/2017, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial na importância de até R$ 5.000,00 para custear as despesas dos conselheiros que irão participar de um Encontro Estadual sobre os serviços de acolhimento familiar foi aprovado por oito votos, contra os votos dos vereadores José Bodnar e Roni Surek. Conforme Bodnar, 36 conselheiros e representantes estarão participando do Encontro. “Sou contrário a este tipo de liberação. Recentemente tivemos a Conferencia das Cidades em Foz do Iguaçu e ninguém foi, porque segundo informações, não existiam recursos”, afirmou.

   O PL nº 102/2017, que que autoriza o Executivo a promover a venda em leilão de veículos e sucatas reputados como de recuperação antieconômica para os cofres públicos e o nº 105/2017, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial e suplementar na importância de até R$ 103.000,00 para contratação temporária de profissionais liberais para a Secretaria Municipal de Assistência tiveram pedidos de vistas, feitos pelo vereador José Bodnar, aprovados por unanimidade de votos, os quais devem retornar à pauta na próxima sessão ordinária.

PALAVRA-LIVRE

   O vice-presidente da Casa, vereador Roni Surek, agradeceu a presença dos funcionários da secretaria de saúde na sessão. Parabenizou o encarregado pelo Pátio de Máquinas, Sergio Hryszko pelo trabalho que vem sendo feito e a Comissão Organizadora da Festa Ucraniana, realizada no final de semana, “muitas famílias, respeito e educação”. Agradeceu também aos demais vereadores pela aprovação das Moções de Aplausos ao Grupo Gaitaço e aos CTGs. “Justas homenagens feitas na área do tradicionalismo gaúcho, movimento que mais cresce no país pela disciplina e respeito”, destacou. Se dirigindo aos funcionários da saúde, Surek lamentou mais uma vez a saída do Agostinho Basso, que segundo ele, foi motivada pelo vice-prefeito Amilton Komnitski. “Uma grande perda, pois todo sabemos a idoneidade, competência e profissionalismo do Agostinho, que é funcionário de carreira”, destacou o vereador afirmando que possui em mãos uma cópia dos deveres e funções do vice-prefeito do município.  

   O 1º Secretário da Casa, Marcelo Rodrigues elogiou o vereador Roni pelas palavras em relação a saída do Agostinho da pasta. “Lamentamos muito a exoneração deste grande profissional, excelente funcionário de carreira, uma pessoa exemplar. Todos sabemos que a saída do Agostinho foi pressão do vice-prefeito Amilton”, frisou Rodrigues enfatizando a Lei Orgânica do Município, onde não consta atribuições do vice-prefeito, as quais se restringem apenas ao prefeito. “Soubemos também que os funcionários de carreira da secretaria não querem assumir a pasta por medo de pressão”, frisou Marcelo. Em um aparte o vereador José Bodnar confirmou a informação. “Também recebi ligações de pessoas dizendo que está havendo terrorismo psicológico com os funcionários”. Por fim o 1º Secretário destacou ainda o art. 61 da Lei Orgânica, que prevê que o poder executivo é exercido pelo prefeito. “Não vamos deixar que o coronelismo volte a ter força em Irati”. Roni Surek deixou uma pergunta: “Quem vai indicar o próximo secretário de saúde? O prefeito Jorge ou o vice Amilton?”, indagou.

   Antes de encerrar os trabalhos da noite, o Presidente Helio de Mello completando a fala dos vereadores fez uma comparação: “Dentro de uma disputa eleitoral, a escolha do vice é como se fosse a escolha de uma noiva, um casamento. Esse casamento não pode ser indicado goela abaixo, não é o padre que vai arranjar o casamento no confessionário, porém, quando os filhos estão sofrendo, tem uma palavra fácil e dolorida, divórcio. Fica a minha sugestão”.

 (Assessoria Câmara Municipal de Irati)

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

NAVEGUE AQUI